O que você quer ser quando crescer?

 Acho que todo mundo nessa vida já fez ou ouviu essa pergunta. Desde a infância nos deparamos com ela e muitas vezes, depois que crescemos, ela pode acabar sendo a que mais tememos responder.

O que mais acho estranho atualmente é que quando perguntamos a uma criança o que ela quer ser, ela responde uma profissão. Todas as respostas estão intimamente ligadas ao padrão econômico de vida que querem levar quando atingirem e vida adulta.

É triste perceber isso porque o que há de mais legal na infância é a sua parte lúdica! A fantasia, aquele espaço onde você pode ser o que bem quiser e ninguém pode dizer que não existe ou que é impossível.

Lembro que quando eu era criança, tinha um amigo que queria ser um dinossauro quando crescesse e eu achava o máximo! Lógico, ninguém pode ser um dinossauro (será?), mas ser criança é isso. Querer ser astronauta, mágico, dinossauro. Viver num mundo mágico, num universo paralelo.

Mas hoje em dia não é bem assim. As crianças querem ser adultos. Aprendem desde cedo os valores econômicos e as formas de atingi-lo. Descobrem que a vida não é fácil e que não se pode viver num mundo de fantasias. Frustram-se desde cedo e crescem com isso, achando que o “impossível” é inalcançável. E aquela perguntinha inofensiva da infância passa a ser a sua maior tortura da juventude:

O que você quer ser quando crescer?”. Ah, talvez artista… “Mas arte não dá dinheiro!”…Talvez médico, “Mas tem que se especializar pra ganhar bem”…Talvez Advogado, “Mas tem um advogado a cada esquina… A lista de desculpas pra te frustrar vão longe e nem vou falar de quem quer lecionar!

Crescemos e desencantamos e isso só ocorre porque nos esquecemos de algo importante em ser criança… Acreditar. As crianças acreditam incondicionalmente e no seu mundo, do seu jeito, alcançam seus objetivos (atire a primeira pedra quem aqui nunca teve super-poderes!). Acho que é isso que nos falta na vida adulta, acreditar.

Estamos tão acostumados a nos frustrar, temos tanto medo do fracasso, do erro, de tudo, que acabamos fracassando. Não porque não alcançamos nossos objetivos, mas porque sequer tentamos alguns que fariam muita diferença. Acostumamos-nos com essa realidade áspera e não nos permitimos mais sonhar.

Nos prendemos tanto aos valores econômicos que esquecemos que há outros valores que podem nos fazer muito mais felizes, mas acabamos não tendo tempo pra eles porque nós estamos ocupados ganhando dinheiro para enfim sermos felizes.

Só que nem sempre essa felicidade acontece…

E é por todos esses motivos que quando eu crescer quero ser criança ou como meu amigo disse, quero ser dinossauro!

About these ads

About Tica

De tantos caminhos, escolhi o Direito.De tantas causas, escolhi a Justiça. Sou militante feminista e uma eterna sonhadora, não me acorde.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Ensaios de Gênero

Um espaço para se ensaiar política, educação, feminismo e coisas do gênero...

Feminismo Ráiot

música + feminismo + faça você mesma

Joanah Dark

Performance, Fotografia e Feminismo.

Café Feminista

Por Cely Couto

FeminismUrbana

Textos, artigos, imagens, quadrinhos, opiniões. A idéia é juntar quem está pensando as cidades na perspectiva feminista, no Brasil e na América Latina.

feminismosemdemagogia

Blog da página Feminismo Sem Demagogia

Alemão com Frau Santana

A Alemanha bem perto de você.

O Fim da Eternidade

(Isaac Asimov)

Colunas Tortas

Por que opinião é só falatório | Bauman, Sociedade, Política, Comunismo, Socialismo, Capitalismo, Marxismo, Machismo, Feminismo, Estruturalismo, Pós-Modernismo, Esquerda, Crítica Social, Crítica de Arte, Literatura, Cinema, Séries

Marcha Mundial das Mulheres

Feminismo 2.0 até que todas sejamos livres!

Blogueiras Negras

informação para fazer a cabeça

Quem o Machismo matou hoje?

No Brasil, quatro mulheres são assassinadas todos os dias vítimas da violência doméstica. Você sabe quem elas são?

Mulher Dialética

Jarid Arraes - Psicologia, Feminismo e Direitos Humanos

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.414 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: