Confissão

É, eu não mudei, sei que prometi isso a você no ano passado, mas não cumpri. Sinto desapontá-la mas estou pior que você em relação a isso, posso te garantir. Eu sei que queria ter me formado, mas eu precisava trabalhar e não consegui associar a vida de estudos à vida laboral, o nosso casamento também acabou escorrendo por minhas mãos.

No começo eu chegava sempre mais tarde em casa e você reclamava. É, eu ficava bravo, você não entendia que eu fazia horas extras para o nosso próprio bem. Depois de muito esforço eu consegui me promover, você lembra? Deram-me um Black Barry e um Note Book, eu nem acreditava! Lutei tanto por aquele aumento e ganhei muito mais do que somente ele, imagina, agente ainda estava pagando o nosso computador com aquele monitor enorme. Chego a rir quando lembro, agente saiu pra jantar fora e o nosso casamento parecia ter encontrado o seu norte.

Mas aí vieram os relatórios, os e-mails que eu tinha que responder a qualquer hora do dia, lembro até hoje que passei a odiar a tecnologia a partir daquele dia. E você passou a ser um elemento tão distante da minha agenda. Chegava tão cansado e sempre fingia que estava ouvindo o que você falava. Cada conta a pagar era uma briga, eu sempre te culpava por tudo. Não sei, mas eu tinha que dividir a carga que estava em minhas costas, eu achava que estava carregando o mundo e na verdade ele sempre esteve nas suas costas, eu via a sombra dele em você e achava que era eu.

Quando me transferiram? Eu sei foi terrível para você, o bebê de apenas dois meses e o pai ausente, em outro lado do país vendendo a alma por um cargo de chefia. Se te alivia saber eu nunca amei aquela secretária, é verdade que mantive três meses de relações com ela, mas você tinha que entender que o nosso casamento não estava bem há muito tempo e aí veio o bebê, depois eu fui para outro estado e, o resto você sabe…

Voltei depois de um ano quando me demitiram, apareceu um rapaz mais novo e super qualificado que tomou o meu lugar por metade do meu salário. Sabe como é, redução de custos e funcionários polivalentes. Você já tinha entrado com o pedido de divórcio, te odiei a partir dali, e não assinei nada.

Naquele tempo eu precisava de você mais do que nunca. Não tinha mais o emprego que me tomava mais de 14 horas do meu dia, não tinha a faculdade que suamos para pagar, vendi o carro, e você me abandonou, foi tudo de vez.

Hoje eu não mudei muito, mas percebi que não tinha perdido tudo de vez. A faculdade eu perdi logo que consegui aquele maldito emprego, você eu fui perdendo na medida em que a minha ambição crescia, e o resto, eu nunca tive.

Anúncios

About Tica

Feminista e membra da União de Mulheres de São Paulo, onde é coordenadora adjunta do Curso de Promotoras Legais Populares, projeto voltado para a educação popular e feminista em direitos. É Viciada em Lego, apaixonada por ficção científica, apocalipse zumbi e possui sérios problemas em procrastinar vendo gif's e não lembrar o nome das pessoas. No mundo real é advogada empresarial e artesã

2 responses to “Confissão”

  1. iannic matos says :

    …e o pior é que ele diz que é melhor estar bem, estando separado que está mal junto…Ele nao sabe o que e estar bem!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Ensaios de Gênero

Um espaço para se ensaiar política, educação, feminismo e coisas do gênero...

Feminismo Ráiot

música + feminismo + faça você mesma

Joanah Dark

Performance, Fotografia e Feminismo.

Café Feminista

Por Cely Couto

FeminismUrbana

Textos, artigos, imagens, quadrinhos, opiniões. A idéia é juntar quem está pensando as cidades na perspectiva feminista, no Brasil e na América Latina.

feminismosemdemagogiaOriginal

Blog da página Feminismo Sem Demagogia - Original

Alemão com Frau Santana

A Alemanha bem perto de você.

O Fim da Eternidade

(Isaac Asimov)

Colunas Tortas

mais que uma opinião

Marcha Mundial das Mulheres

Feminismo 2.0 até que todas sejamos livres!

Blogueiras Negras

"Quem não quer raciocinar é um fanático;quem não sabe raciocinar é um tolo; quem não ousa raciocinar é um escravo"

Quem o Machismo matou hoje?

No Brasil, quatro mulheres são assassinadas todos os dias vítimas da violência doméstica. Você sabe quem elas são?

%d blogueiros gostam disto: