Cansaço assim mesmo, ele mesmo, Cansaço

Confesso que no ensino médio quando estudei Fernando Pessoa e me deparei com a poesia “O que há”, adorei. Só não fazia idéia ao que necessariamente ele se referia.

Não era aquele cansaço-preguiça da adolescência, nem aquele cansaço depois de um dia inteiro no colégio militar ou das aulas de Karatê. Não, não era esse cansaço.

Era algo maior, algo mais inexplicável.

Algo que, só agora na minha vida adulta posso ter a certeza de sentir, ainda que não consiga exprimi-lo ao certo.

E descobri que viver cansa, exige, maltrata. Existir não, basta em si e parece muito mais tentador.

Existir é padrão, cotidiano, linear. Viver é transformar todo isso em algo mais, é querer um cotidiano diferente a cada dia; andar linearmente por linhas tortas; é ser o exemplo do que não é padrão. É fazer do limite seu ponto de partida e sair do conforto do comodismo.

O problema é que confundimos esse cansaço do senso-comum com o Cansaço; O stress do existir com o cansaço do ser; o natural com o naturalizado e Cansamos de tudo.

Só que não percebemos que às vezes nós somos o nosso próprio paradigma e precisamos nos quebrar diariamente, nos desconstruir para nos transformar em nós mesmos. Parar de polir nossas grades e fazer uma rebelião.

Gritar e atear fogo.

Às vezes nem isso, basta-nos um ócio, uma não-existência plena para então existirmos. É preciso sentir:

A sutileza das sensações inúteis,
As paixões violentas por coisa nenhuma,
Os amores intensos por o suposto em alguém,
Essas coisas todas —
Essas e o que falta nelas eternamente —“

 

Intensidade, acho que essa é a palavra-chave. Quando nos dizem para vivermos intensamente, referem-se a ódio, amor, alegria, sofrimento, dor. Tudo, intensamente.

Sofremos para sermos felizes, odiamos de tanto amar, sentimos dor para cicatrizar, não há meio termo, é tudo dialético. Mas temos medo disso tudo, temos medo de viver e acabamos fatalmente apenas existindo.

Existimos porque não queremos cansar, não queremos sobretudo nos arrepender e para isso basta que não vivamos.

E é ai que penso que viver é ser a antítese da própria tese e cansar. Não por ter conseguido, nem por ter falhado, mas cansar. Viver cansa também.

Anúncios

Tags:,

About Tica

Feminista e membra da União de Mulheres de São Paulo, onde é coordenadora adjunta do Curso de Promotoras Legais Populares, projeto voltado para a educação popular e feminista em direitos. É Viciada em Lego, apaixonada por ficção científica, apocalipse zumbi e possui sérios problemas em procrastinar vendo gif's e não lembrar o nome das pessoas. No mundo real é advogada empresarial e artesã

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Ensaios de Gênero

Um espaço para se ensaiar política, educação, feminismo e coisas do gênero...

Feminismo Ráiot

música + feminismo + faça você mesma

Joanah Dark

Performance, Fotografia e Feminismo.

Café Feminista

Por Cely Couto

FeminismUrbana

Textos, artigos, imagens, quadrinhos, opiniões. A idéia é juntar quem está pensando as cidades na perspectiva feminista, no Brasil e na América Latina.

feminismosemdemagogiaOriginal

Blog da página Feminismo Sem Demagogia - Original

Alemão com Frau Santana

A Alemanha bem perto de você.

O Fim da Eternidade

(Isaac Asimov)

Colunas Tortas

mais que uma opinião

Marcha Mundial das Mulheres

Feminismo 2.0 até que todas sejamos livres!

Blogueiras Negras

"Quem não quer raciocinar é um fanático;quem não sabe raciocinar é um tolo; quem não ousa raciocinar é um escravo"

Quem o Machismo matou hoje?

No Brasil, quatro mulheres são assassinadas todos os dias vítimas da violência doméstica. Você sabe quem elas são?

%d blogueiros gostam disto: