O Horror em Red Hook e outros contos

Esse vai ser meu primeiro post sobre um dos autores que mais me surpreenderam esse ano e que também se tornou um dos meus prediletos. Meu primeiro contato com Lovecraft foi com o livro A Sobra Vinda do Tempo, que considero uma das coisas mais fodásticas que já foram escritas na face da Terra (e talvez até fora dela, vai saber) e depois deste, li A Cor que Caiu do Espaço e prometo que assim que tiver tempo escrevo melhor sobre esses dois livros fantásticos.

H.P. Lovecraft é um dos mais aclamados mestres do Horror. Seus contos inspiraram grandes escritores como Stephen King e Neil Gaiman e muitos, inclusive, foram adaptados para o cinema e deram origem a filmes como Re-Animator, Castle Freak, From Beyond, dentre tantos outros.

A sua influência na literatura é memorável, sendo ele ainda quem primeiro introduziu a ficção científica de Horror, abandonando os monstros “comuns” e substituindo-os por criaturas fantásticas . Assim, Lovecraft criou uma mitologia própria e única e sua sombra paira sobre nossos maiores temores ainda nos dias de hoje.

 O Horror em Red Hook da Coleção 64 páginas da editora L&PM Pocket acompanha ainda mais dois contos, Ele e A tumba. Diferentemente das edições da Hedra que nos trazem apêndices recheados de curiosidades e nos contextualizam no conto e principalmente na mente do autor, esta edição da L&PM é bem concisa contendo os contos e nada mais. Seu custo também é bem menor se comparado às edições de outras editoras, pois varia entre R$3,47 e R$ 5,00 o que vem a ser um atrativo ainda maior para essa edição de bolso.

O Horror em Red Hook

 O primeiro dos contos não poderia deixar de ser O Horror em Red Hook, que é história do detetive de polícia F. Malone que se mudou para uma cidade pacata após passar por uma experiência traumática e incomum que marcara para sempre a sua vida. Tudo começou quando Malone passa a investigar o caso do Sr. Robert Suydam, um erudito conhecido por sua autoridade respeitada em superstição medieval que começou a adotar comportamentos incomuns e a se misturar com os criminosos mais temidos da tenebrosa Red Hook. Acontecimentos estranhos passam a deixar as vielas de Red Hook ainda mais obscuras, pessoas de feições estranhas começam a surgir do nada, enquanto outras simplesmente desaparecem, o caos se instala e só Malone consegue perceber um ar sobrenatural e temível diante desses acontecimentos isolados, o que de certa forma coloca a sua sanidade em questão e mexe profundamente com a nossa e a sua investigação sobre tais acontecimentos se torna cada vez mais perigosa.

Apesar de ser um bom conto, O Horror em Red Hook não é uma das Obras Primas que consagraram Lovecraft, mas mesmo assim é uma boa leitura, cheia de misticismo e com toques diabólicos interessantes.

O segundo conto é Ele, que conta a história de um poeta ou aspirante a poeta, que se vê diante de uma desilusão em sua viagem a New York atrás de inspiração. Ao chegar na cidade, ele percebe que havia algo de impuro, solitário e inexplicável que ele não sabia explicar, mas que estava ali, intrínseco àquela paisagem. Neste meio tempo ele conhece um estranho que parecia ser uma esperança diante daquela tenebrosa experiência, mas as coisas tomam um rumo inesperado e ele acaba encontrando o que talvez nunca devesse ter procurado naquele lugar.

O conto Ele é interessante porque parece ser algo atemporal, o que mais me chamou a atenção nele foi a sua semelhança com o livro A Cor que Caiu do Espaço em diversos aspectos logo no final da trama. Parece até que o Lovecraft começou a ter a idéia de escrever o outro conto à partir do final desse.

O terceiro e último conto é A Tumba, este é um dos mais conhecidos dos três que fazem parte dessa mini coletânea. Aqui podemos ver nitidamente que Lovecraft ainda mantém um apego muito grande com a sua fonte de inspiração: Edgar Alan Poe. Dos três contos, acredito que este é o melhor.

A Tumba é contada pelo narrador personagem que encontra-se em um sanatório, aqui vemos o que parece ser uma característica forte do Lovecraft, a arte de nos deixar na dúvida se a história é um delírio de insanidade ou se é um relato de uma experiência sobrenatural desacreditada a ponto de colocar em cheque a sanidade de quem conta. No conto temos um personagem que passa a cultivar uma obsessão por uma cripta que encontra na floresta perto de sua casa. O local exerce uma influência forte sobre ele a ponto de tornar as suas visitas cada vez mais frequentes e as descobertas advindas da exploração do local cada vez mais intrigantes, chegando ao ponto de conhecer segredos há muito guardados sobre sua própria origem, o que acaba sendo a sua própria perdição.

Gostei bastante do contato que tive com esse lado mais “comum” do autor, isso porque como citei logo no começo do post, minha iniciação Lovecraftiana foi diretamente com a Ficção Científica de Horror, o que me fez ficar viciada a ponto de caçar loucamente todo e qualquer conto do Lovecraft que estivesse à venda. Mas esse outro lado dele é igualmente interessante e para quem quer conhecer o autor, essa Coleção 64 páginas da editora L&PM Pocket se encaixa perfeitamente no “Bom, bonito e barato”.

Anúncios

Tags:, , , , ,

About Tica

Feminista e membra da União de Mulheres de São Paulo, onde é coordenadora adjunta do Curso de Promotoras Legais Populares, projeto voltado para a educação popular e feminista em direitos. É Viciada em Lego, apaixonada por ficção científica, apocalipse zumbi e possui sérios problemas em procrastinar vendo gif's e não lembrar o nome das pessoas. No mundo real é advogada empresarial e artesã

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Ensaios de Gênero

Um espaço para se ensaiar política, educação, feminismo e coisas do gênero...

Feminismo Ráiot

música + feminismo + faça você mesma

Joanah Dark

Performance, Fotografia e Feminismo.

Café Feminista

Por Cely Couto

FeminismUrbana

Textos, artigos, imagens, quadrinhos, opiniões. A idéia é juntar quem está pensando as cidades na perspectiva feminista, no Brasil e na América Latina.

feminismosemdemagogiaOriginal

Blog da página Feminismo Sem Demagogia - Original

Alemão com Frau Santana

A Alemanha bem perto de você.

O Fim da Eternidade

(Isaac Asimov)

Colunas Tortas

mais que uma opinião

Marcha Mundial das Mulheres

Feminismo 2.0 até que todas sejamos livres!

Blogueiras Negras

"Quem não quer raciocinar é um fanático;quem não sabe raciocinar é um tolo; quem não ousa raciocinar é um escravo"

Quem o Machismo matou hoje?

No Brasil, quatro mulheres são assassinadas todos os dias vítimas da violência doméstica. Você sabe quem elas são?

%d blogueiros gostam disto: