Tag Archive | Feminismo

Resenha: livro não conheço ninguém que não seja artista #LeiaMaisMulheres

Comprei esse livro na Feira Plana sem nunca ter ouvido falar dele ou das autoras. Queria apenas comprar um livro escrito por mulheres. Queria experimentar aquela sensação meio doida de comprar algo sem ter muita certeza se ia gostar, mas sabendo que deveria me arriscar. Tipo andar no escuro, tateando.

image

Leia Mais…

20 anos de Promotoras Legais Populares

Todos os anos uma nova turma de Promotoras legais Populares se forma. Mulheres com vivências, essências e sonhos diferentes. Mulheres com corpos, cabelos e cabeças únicas. Mulheres.

Algumas já chegam aqui com uma noção de militância feminista e do que é o feminismo; algumas já são militantes de longa data e outras chegaram ali abertas para aprender sobre isso tudo.

Lembro de quando fui aluna do curso de formação de Promotoras Legais Populares. Cada sábado era uma vivencia única e ainda que eu já fosse aluna do Curso de Direito, aprendi ali coisas que nunca aprendi na Faculdade e nem estou aprendendo na Pós tanto relacionadas ao Direito como relacionadas às vivências humanas. Fiz amizades com mulheres maravilhosas que carrego no coração até hoje e que, na medida do possível, mantenho contato ou, no mínimo, as vejo nas militâncias da vida ou dando entrevista sobre Direitos da Mulher em algum canal.

Tive aula com pessoas que me fizeram crescer como cidadã, convivi com a Amelinha, que admiro por demais da conta, e participei mais ativamente da União de Mulheres de São Paulo.

Saí de lá com muitas saudades: das aulas, do bate-papo no lanche, dos abraços, dos depoimentos das meninas. Enfim, o curso é algo que levarei pra vida toda e que sempre apoiarei como puder.

Este ano, o Curso das Promotoras Legais Populares completa 20 anos. 20 anos! Fico imaginando quantas mulheres não tiveram suas vidas tocadas por ele direta, sendo uma PLP, ou indiretamente, sendo ajudada por uma PLP. Não dá pra resumir em palavras o quanto acho este curso importante para as mulheres e o quanto me orgulho de ter feito parte dele.

Para quem não sabe, a idéia do curso surgiu em 1992, num seminário promovido pelo CLADEM:

Em maio de 1992, a União de Mulheres de São Paulo participou de um seminário sobre os direitos da mulher promovido pelo CLADEM — Comitê Latino Americano de Defesa dos Direitos da Mulher. Nessa ocasião, pela primeira vez ouvimos falar dos cursos de “capacitação legal” das mulheres. Estes cursos já vinham se desenvolvendo há pelo menos uma década em alguns países da América Latina, como Peru, Argentina e Chile.

Gostamos da proposta. Isto porque nós, militantes do movimento de mulheres, já tínhamos participado das lutas por conquistas de leis, particularmente no processo constituinte. Chegava, então, o momento de promover o conhecimento das leis e dos mecanismos jurídicos possíveis de acessar e viabilizar.

Ouvindo os relatos de advogadas e ativistas que administravam estes cursos, vimos ser possível capacitar as mulheres para a defesa dos seus direitos a partir do seu cotidiano e da sua comunidade. O Grupo THÊMIS (RS), que também participou do Seminário, foi o primeiro a concretizar essa idéia no Brasil, em Porto Alegre. Em São Paulo começou em 1994, com um primeiro seminário denominado “Introdução ao Curso de Promotoras Legais Populares”, com 35 lideranças populares.

Felizmente encontramos o pleno apoio do IBAP, que por sua vez mobilizou o Movimento do Ministério Público Democrático e a Associação dos Juízes Para a Democracia.

Em 2004 realizamos o 10º Curso e chegamos a 2.000 Promotoras Legais Populares no Estado de São Paulo, celebrando os 10 anos da implementação do Projeto no Estado do São Paulo.”(fonte)

Este ano, pretendemos fazer uma comemoração especial para os 20 anos do Curso e estamos montando vários projetos para arrecadar fundos. Um deles é o Kit Ecobag Visiona + Par de Brincos:

foto 1foto 2

Montamos este Kit em parceria com a Banda Eletrônica Feminista Visiona para arrecadar fundos para a Formatura do 20º Curso de Promotoras Legais Populares que é realizado pela União de Mulheres de São Paulo.

Do dinheiro arrecadado com o Kit, vamos descontar apenas o custo do material, todo o resto será doado para a Formatura. Esperamos que muita gente abrace a causa e ainda curta o seu lindo kit!

[+] Link para compra na Lojinha virtual

[+] Conheça um pouco da banda:

 

A quem pertence o espaço público?

1176122_199954350208149_766889061_n

A quem pertence o espaço público? Digo, quem, necessariamente, pode ocupá-lo; usufruí-lo?

Em sua ingenuidade, você poderia simplesmente achar a pergunta retórica. Afinal, o espaço publico é PÚBLICO. Ou seja, é de todas(os) nós. E eu, talvez, se não me despisse de meus privilégios, diria que você tem razão. Mas isso seria uma utopia, pois sabemos que o espaço público tem dono. Leia Mais…

O Histórico Infame de Frankie Landau-Banks

 

55033_gg

Hoje tem post meu, em conjunto com outra autora, lá nas Blogueiras Feministas. Confiram: O Histórico Infame de Frankie Landau-Banks

Virginia Woolf: Profissões Para Mulheres e Outros Artigos Feministas

virginia-woolf

Há um tempo atrás um amigo me mandou um link de uma promoção imperdível no Submarino. Era um Box com 6 livros da Virgínia Woolf: A Viagem, Noite e Dia, Entre os Atos, O Quarto de Jacob, Os Anos e As Ondas.

Apesar de já saber que ela era uma ótima escritora, nunca tinha lido nada dela e, por mais insano que possa soar, ela nem estava na minha lista de “livros que eu precisava ler antes de morrer”. Leia Mais…

Por que as vítimas de violência doméstica não vão embora?

Quando assisti o vídeo da Leslie Morgan Steiner respondendo à insistente pergunta “por que as vítimas de violência doméstica não vão embora?”, fiquei com vontade de fazer um post falando diversas coisas sobre a violência doméstica, seu conceito , citar as estatísticas  do Mapa da Violência – Homicídio de Mulheres no Brasil, dentre tantas outras idéias que queria compartilharFiquei com uma vontade imensa de escrever falando dessa nossa mania horrível de culpar a vítima e de revitimizá-la, porque o depoimento da Leslie me emocionou.

Porém, depois de pensar um pouco, cheguei à conclusão de que não precisava escrever respondendo a esta questão, pois o vídeo abaixo é capaz de falar por si só:

Quem tem medo do Feminismo?

feminismo_marcha

Hoje tem post meu lá nas Blogueiras Feministas. Confiram: Quem tem medo do Feminismo?

Cartilha da Lei Maria da Penha

2012-12-17_portal-compromisso-e-atitude-pela-lei-maria-da-penha_gg

A Lei 11.340/06, conhecida como Lei Maria da Penha, completou 7 anos no dia 07 de Agosto deste ano. Porém, ainda hoje, há uma série de dúvidas que rodeiam a Lei e principalmente a questão da Violência Doméstica. Leia Mais…

Do silêncio ao grito contra a impunidade: O caso Márcia Leopoldi

CriticaConsciente_10

          Sempre que falamos de violência doméstica, nos vem à mente o caso da cearense Maria da Penha. A associação se dá não só por conta da Lei que leva o seu nome – como forma de reparação simbólica e femenagem à sua luta, mas também pelo grau de violência e impunidade que permeiam o caso. Sem contar, é claro, com a repercussão Internacional que o mesmo teve.
          Porém, no mesmo cenário brasileiro de gritante injustiça contra as mulheres vítimas de violência doméstica, tivemos o Caso Márcia Leopoldi. Leia Mais…

Como tudo começou…

389067_256116987770171_433529354_n

Nunca queimei um sutiã, muito menos o tempo que dedico ao feminismo é aquele que sobra por falta de louça suja, isso eu lhes garanto. Leia Mais…

Machismo, quando o buraco é mais embaixo.

CriticaConsciente_01 

Quando falamos de machismo, fica clara a idéia de que trata-se de um comportamento que tem como objetivo minimizar a mulher, de suprimi-la a ponto de torná-la nula enquanto indivíduo perante o homem. Há ainda que se falar que o machismo é um comportamento aprendido, porém, por estar tão naturalizado na Sociedade Patriarcal Capitalista na qual estamos inserid@s, arrisco dizer que para muit@s ele soa como um comportamento natural. Pasmem. E apesar de reconhecer e lutar contra este sexismo repugnante que devido a minha condição de mulher me oprime grandemente, devo admitir que ele não se limita a isso. Não somos só nós mulheres, transexuais ou não, as vítimas. Toda a sociedade o é. Seja você hétero ou LGBTTI, ninguém escapa. Logo, essa luta deveria ser de tod@s nós.

Contudo, há um questionamento que queria levantar nesta oportunidade: Seria o algoz também uma vítima? Leia Mais…

De quando eu decidi virar artesã…

audreyzinha

Tudo começou com uma idéia inofensiva Leia Mais…

Prêmio Heleieth Saffioti

883891_487095514672316_1660305460_o

Militar não é fácil. Construir dia-a-dia nosso próprio espaço dentro de uma sociedade desigual requer muito empenho, força de vontade e tempo, bem como aquela esperança de que se pode mudar o mundo. Lutamos não só pela conquista de nossos direitos, mas pela manutenção e efetivação dos mesmos, pois de nada nos serve ter direitos se não tivermos, em contrapartida, a plena possibilidade de exercê-los. Leia Mais…

Ciclo de Oficinas e Atividades na União de Mulheres de São Paulo

União de Mulheres de São Paulo

O projeto “30 anos de transversalidade dos feminismos no Brasil: Reconhecimento cultural e social dos direitos humanos das mulheres – Memórias e expressões” propõe-se a lançar um olhar sobre o movimento feminista brasileiro das últimas três décadas pelo viés da presença das mulheres nas artes. Leia Mais…

O machismo da linguagem

As palavras têm poder. Muitas vezes não paramos para pensar o quanto elas podem refletir a sociedade na qual vivemos. Somente quando lidamos com uma linguagem sexista percebemos isso, porque, uma vez associada intrinsecamente à nossa cultura, a linguagem representa a forte influência do patriarcado.

Leia Mais…

Ensaios de Gênero

Um espaço para se ensaiar política, educação, feminismo e coisas do gênero...

Feminismo Ráiot

música + feminismo + faça você mesma

Joanah Dark

Performance, Fotografia e Feminismo.

Café Feminista

Por Cely Couto

FeminismUrbana

Textos, artigos, imagens, quadrinhos, opiniões. A idéia é juntar quem está pensando as cidades na perspectiva feminista, no Brasil e na América Latina.

feminismosemdemagogiaOriginal

Blog da página Feminismo Sem Demagogia - Original

Alemão com Frau Santana

A Alemanha bem perto de você.

O Fim da Eternidade

(Isaac Asimov)

Colunas Tortas

mais que uma opinião

Marcha Mundial das Mulheres

Feminismo 2.0 até que todas sejamos livres!

Blogueiras Negras

"Quem não quer raciocinar é um fanático;quem não sabe raciocinar é um tolo; quem não ousa raciocinar é um escravo"

Quem o Machismo matou hoje?

No Brasil, quatro mulheres são assassinadas todos os dias vítimas da violência doméstica. Você sabe quem elas são?